Skip to content

Guia para vacinação de filhotes: primeiro ano

vacinação para cães

Quando você traz aquela bolinha de pelo macia e cheirosa para sua casa, sabe imediatamente que ela depende de você para exatamente tudo. 

Cabe a você dar a este novo membro da família todos os cuidados de que ele precisa. Pode ser um pouco intimidante, mas ele vai precisar da melhor ração para filhotes, bastante atenção, treinamento suave, brinquedos seguros, socialização, uma casa confortável e cuidados veterinários adequados. 

E isso inclui, claro, todas as vacinações em dia e necessárias no primeiro ano. É sobre isso que vamos falar neste artigo. Acompanhe!

Quais doses de vacina os filhotes precisam?

Ir ao veterinário repetidamente ao longo de vários meses para vacinação e, em seguida, para reforços ou titulações ao longo da vida do seu cão pode parecer um inconveniente, mas as doenças das quais as vacinas irão proteger nossos animais de estimação são perigosas, potencialmente mortais e, felizmente, evitáveis.

Lemos sobre tantas vacinas diferentes, para tantas doenças diferentes, que às vezes pode ser confuso saber quais vacinas os filhotes precisam e quais são importantes, mas opcionais. 

Aqui está uma visão geral das doenças que a vacinação ajudará seu animal a evitar.

Bordetella Bronchiseptica

Esta bactéria altamente infecciosa causa ataques graves de tosse, convulsão, vômito e, em casos raros, morte. É a principal causa da tosse do canil. Existem vacinas injetáveis ​​e spray nasal disponíveis.

Se você planeja viajar com seu filhote no futuro, assistir a aulas de treinamento em grupo ou usar serviços de creche para cães, muitas vezes esta vacinação será um requisito.

Cinomose canina

Doença grave e contagiosa causada por um vírus que ataca os sistemas respiratório, gastrointestinal (GI) e nervoso de cães, guaxinins, gambás e outros animais.

A cinomose espalha por meio da exposição aérea (por meio de espirros ou tosse) de um animal infectado. O vírus também pode ser transmitido por recipientes e equipamentos compartilhados de comida e água. 

Causa secreção nos olhos e no nariz, febre, tosse, vômito, diarréia, convulsões, espasmos, paralisia e, frequentemente, morte. Esta doença costumava ser conhecida como “almofada dura” porque faz com que a almofada dos pés engrosse e endureça.

Não há cura para a cinomose. O tratamento consiste em cuidados de suporte e esforços para prevenir infecções secundárias, controlar os sintomas de vômitos, convulsões e muito mais. 

Se o animal sobreviver aos sintomas, espera-se que o sistema imunológico do cão tenha a chance de combatê-lo. Cães infectados podem espalhar o vírus por meses.

Leia neste artigo mais sobre essa doença: Cinomose: sintomas, tratamento e prevenção

Hepatite Canina

A hepatite infecciosa canina é uma infecção viral altamente contagiosa que afeta o fígado, os rins, o baço, os pulmões e os olhos do cão afetado. E

sta doença do fígado é causada por um vírus que não tem relação com a forma humana de hepatite. Os sintomas variam de febre ligeira e congestão das membranas mucosas a vômitos, icterícia, aumento do estômago e dor ao redor do fígado. 

Muitos cães podem superar a forma branda da doença, mas a forma grave pode matar. Não há cura, mas os médicos podem tratar os sintomas.

Parainfluenza Canina

Um dos vários vírus que podem contribuir para a tosse do canil.

Coronavírus

O coronavírus canino não é o mesmo vírus que causa COVID-19 nas pessoas. O COVID-19 não é considerado uma ameaça à saúde dos cães e não há evidências de que os deixe doentes. 

O coronavírus canino geralmente afeta o sistema gastrointestinal dos cães, embora também possa causar infecções respiratórias. Os sinais incluem a maioria dos sintomas gastrointestinais, incluindo perda de apetite, vômitos e diarreia. 

Os médicos podem manter um cão hidratado, aquecido e confortável e ajudar a aliviar as náuseas, mas nenhum medicamento mata os coronavírus.

Dirofilariose

Quando o seu cachorro tiver cerca de 12 a 16 semanas, converse com seu veterinário sobre como iniciar um   preventivo contra dirofilariose. 

Embora não haja vacina para essa condição, ela pode ser prevenida com medicação regular que o seu veterinário irá prescrever.

O nome é descritivo – esses vermes se alojam no lado direito do coração e nas artérias pulmonares (que enviam sangue aos pulmões), embora possam viajar pelo resto do corpo e às vezes invadir o fígado e os rins. Os vermes podem crescer até 35 centímetros de comprimento e, se agrupados, bloqueiam e ferem órgãos.

Uma nova infecção por dirofilariose geralmente não causa sintomas, embora os cães em estágios avançados da doença possam tossir, ficar letárgicos, perder o apetite ou ter dificuldade para respirar. 

Cães infectados podem se cansar após exercícios leves. Ao contrário da maioria das doenças listadas aqui, que são eliminadas pela urina, fezes e outros fluidos corporais, as vermes são transmitidas por mosquitos. Portanto, o diagnóstico é feito por meio de um exame de sangue e não de um exame fecal.

Tosse de canil

Também conhecida como traqueobronquite infecciosa, a tosse do canil resulta da inflamação das vias aéreas superiores. 

Pode ser causada por infecções bacterianas, virais ou outras, como Bordetella e parainfluenza canina, e geralmente envolve várias infecções simultaneamente. 

Normalmente, a doença é leve, causando crises de tosse seca e forte; às vezes é grave o suficiente para provocar náuseas e engasgos, junto com uma perda de apetite. 

Em casos raros, pode ser mortal. É facilmente disseminado entre cães mantidos juntos, razão pela qual passa rapidamente pelos canis. 

Os antibióticos geralmente não são necessários, exceto em casos crônicos graves. Supressores de tosse podem deixar um cão mais confortável.

Leptospirose

Ao contrário da maioria das doenças desta lista, a leptospirose é causada por bactérias e alguns cães podem não apresentar sintomas. 

A leptospirose pode ser encontrada em todo o mundo no solo e na água. É uma doença zoonótica, o que significa que pode ser transmitida de animais para pessoas. 

Quando os sintomas aparecem, eles podem incluir febre, vômito, dor abdominal, diarreia, perda de apetite, fraqueza severa e letargia, rigidez, icterícia, dor muscular, infertilidade, insuficiência renal (com ou sem insuficiência hepática). Os antibióticos são eficazes e, quanto mais cedo forem administrados, melhor.

Doença de Lyme

Ao contrário da famosa erupção cutânea do tipo “olho de boi” que as pessoas expostas à doença de Lyme costumam detectar, nenhum sintoma revelador ocorre em cães. 

A doença de Lyme (ou borreliose) é uma doença infecciosa transmitida por carrapatos, causada por um tipo de bactéria chamada espiroqueta. 

Transmitido por carrapatos, um cão infectado geralmente começa a mancar, seus gânglios linfáticos aumentam, sua temperatura aumenta e ele para de comer.

A doença pode afetar seu coração, rins e articulações, entre outras coisas, ou levar a distúrbios neurológicos se não tratada. 

Se diagnosticado rapidamente, um curso de antibióticos é extremamente útil, embora as recaídas possam ocorrer meses ou mesmo anos depois.

Parvovírus

Parvo é um vírus altamente contagioso que afeta todos os cães, mas cães e cachorros não vacinados com menos de quatro meses de idade correm o maior risco de contraí-lo. 

O vírus ataca o sistema gastrointestinal e causa perda de apetite, vômito, febre e, freqüentemente, diarreia intensa com sangue. 

A desidratação extrema pode surgir rapidamente e matar um cão dentro de 48 a 72 horas, portanto, a atenção imediata do veterinário é crucial. Não há cura, então manter o cão hidratado e controlar os sintomas secundários pode mantê-lo ativo até que seu sistema imunológico vença a doença.

Raiva

A raiva é uma doença viral de mamíferos que invade o sistema nervoso central, causando dor de cabeça, ansiedade, alucinações, salivação excessiva, medo de água, paralisia e morte. Na maioria das vezes, é transmitido pela mordida de um animal raivoso. 

O tratamento dentro de horas após a infecção é essencial, caso contrário, a morte é altamente provável. A maioria dos estados exige vacinação anti-rábica. Verifique com seu veterinário sobre as leis de vacinação anti-rábica em sua área.

Claro, seu veterinário deve avaliar e sempre pode fornecer mais informações e orientações, se necessário, sobre as vacinações necessárias e opcionais.

Cronograma de vacinação de filhotes

A primeira coisa a saber é que não existe apenas um esquema de vacinação para todos os cães. Fatores como em que parte do país você mora e os fatores de risco individuais do seu cão entram em jogo. Alguns cães não precisam de todas as vacinas. 

Essa decisão é entre você e seu veterinário. Sempre discuta a vacinação dos filhotes em suas consultas regulares.

Dito isso, aqui está uma diretriz geralmente aceita para o esquema de vacinação dos filhotes no primeiro ano. Veja o quadro a seguir:

Idade do filhoteVacinas recomendadasVacinas opcionais
6 – 8 semanasCinomose, parvovírusBordetella
10 – 12 semanasDHPP (vacinas para cinomose,
adenovírus [hepatite],
parainfluenza e parvovírus)
Influenza, leptospirose, Bordetella,
doença de Lyme por estilo de vida,
conforme recomendado pelo veterinário
16 – 18 semanasDHPP, raivaInfluenza, doença de Lyme,
leptospirose, Bordetella por
estilo de vida
12 a 16 mesesDHPP, raivaCoronavírus, leptospirose,
Bordetella, doença de Lyme
A cada 1 – 2 anosDHPPInfluenza, Coronavírus, Leptospirose,
Bordetella, Doença de Lyme por estilo de vida
A cada 1 – 3 anosRaiva (conforme exigido por lei)Nenhum