Efeitos colaterais do meloxicam para cães

0
(0)

Nenhum dono de animal gosta de ver seus amiguinhos sofrerem de dor, por qualquer motivo. Não importa de onde ela vem, dor é dor, certo? E toda dor é terrível. 

Alguns cães sofrem de dores que podem estar relacionadas ao câncer e a tratamentos contra o câncer, e outros sofrem de dores crônicas, como aquela proveniente da artrite.

Alguns cães sentem dor de curto prazo relacionada a uma lesão e, às vezes, eles precisam de medicamentos para o controle da dor após uma cirurgia necessária. Seja qual for o caso, quando se trata de dor, o Meloxicam pode ajudar.

Mas, afinal, é correto dar esse medicamento para cachorro? Quais efeitos colaterais dele? Quais indicações? Em todo caso, uma coisa é certa: meloxicam para cães apenas com receita e avaliação veterinária.

Se esse é seu caso e deseja saber mais sobre a medicação que o veterinário passou para seu dog, continue a leitura!

O que é o Meloxicam para cães?

O meloxicam é um AINE, ou seja, um antiinflamatório não esteróide para cães, usado para ajudar a reduzir a inflamação, a dor e a rigidez associada a distúrbios do sistema musculoesquelético (como osteoartrite em cães).

É um medicamento prescrito, ou seja, não está disponível sem receita, e é vendido em comprimidos. O meloxicam é aprovado pela FDA (EUA) para uso em cães e é usado para tratar uma miríade de condições de saúde que causam dor e inflamação.

O meloxicam também pode ser usado para reduzir a febre canina. O uso, entretanto, deve ser sempre monitorado de perto, pois pode ser perigoso em doses muito altas. Além disso, para usar o meloxicam, os cães precisam estar bem hidratados.

Benefícios do meloxicam para cães

Alguns dos benefícios do meloxicam para cães incluem ser vendido na forma de comprimidos que são fáceis de administrar ao animal por via oral, bem como estar disponível na forma líquida ou injetável para cães que têm dificuldade em tomar os comprimidos. 

É eficaz na redução da inflamação, dor e rigidez, frequentemente associadas a vários problemas de saúde, e é vendido em comprimidos, de forma que você só paga pelo que realmente precisa.

Como funciona este medicamento?

O meloxicam atua inibindo os produtos químicos e hormônios que causam inflamação e dor em cães. Esses produtos químicos são chamados de prostaglandinas. O meloxicam também atua inibindo a fosfolipase A-2 e a COX-2, que são alguns dos agentes responsáveis ​​pela dor e inflamação em cães .

O meloxicam reduz a irritação e proporciona alívio da dor em cães sem a necessidade de medicamentos esteróides. Também existe uma versão do Meloxicam que é usada em humanos, chamada Mobic, mas Mobic nunca deve ser dado a um cão no lugar do Meloxicam, pois as duas versões do medicamento não são intercambiáveis.

Dosagens indicadas

A dosagem de meloxicam para cães é determinada pelo peso do cachorro. Ela deve ser orientada pelo médico veterinário. Como medicamento oral, ele geralmente é prescrito na forma de comprimidos de 7,5 mg.

Embora o meloxicam possa ser administrado a cães com o estômago vazio, eles ainda devem receber bastante água, e a comida pode ser útil.

Se você tiver problemas para dar os comprimidos para o seu cachorro, pergunte ao veterinário sobre uma forma líquida de Meloxicam que você pode adicionar à comida dele. O objetivo é dar a menor dose possível e, ao mesmo tempo, ser eficaz no alívio da dor.

Como já dito, é importante seguir os conselhos do veterinário sobre a dosagem à risca, porque dar ao cão muito meloxicam pode resultar em alguns efeitos colaterais muito sérios. Observe que se você esquecer de uma dose, você pode reconstituí-la, mas precisa fazê-lo o mais rápido possível.

No entanto, se a próxima dose for dada em breve, simplesmente pule a que você esqueceu e continue com seu esquema posológico regular. Nunca dê ao seu cão uma dose dupla de Meloxicam.

Efeitos colaterais do meloxicam para cães

O meloxicam tem efeitos colaterais semelhantes a qualquer outro medicamento AINE, como naproxeno, aspirina e ibuprofeno para cães. 

Isso significa que seu cão pode sofrer de graves problemas gastrointestinais se receber uma dose muito alta. Se você notar que os efeitos colaterais do uso de Meloxicam parecem estar piorando, ou se forem muito graves logo no início, converse com seu veterinário para que ele possa tentar ajustar a dosagem e encontrar um nível de alívio da dor que funcione para o seu cachorro.

Alguns dos efeitos colaterais mais comuns do Meloxicam em cães incluem:

  • Fezes pretas ou com sangue;
  • Diarreia;
  • Sangue que é visível no vômito;
  • Úlceras estomacais;
  • Dor abdominal e sensibilidade ao toque;
  • Aumento da sede e também da micção;
  • Possível inchaço ou ganho de peso devido à retenção de líquidos;
  • Fezes que parecem alcatrão;
  • Fadiga;
  • Fraqueza muscular;
  • Icterícia (os olhos, as gengivas e a pele do cão parecem amarelos);
  • Náusea;
  • Perda de apetite;
  • Perda de peso;
  • Coceira;
  • Dores de cabeça;
  • Tontura;
  • Boca seca;
  • Irritação da pele, como vermelhidão, arranhões e crostas;
  • Perda da função renal.

Seu cão também pode experimentar mudanças de comportamento, como:

  • Depressão;
  • Agressão;
  • Movimentos descoordenados;
  • Uma diminuição na energia e atividade.

Além disso, alguns cães podem ter uma reação alérgica ao medicamento e entrar em choque anafilático.

Alguns dos sinais de choque anafilático incluem:

  • Urticária;
  • Inchaço dos lábios, língua ou rosto;
  • Dificuldade para respirar;
  • Cãibras musculares;
  • Convulsões.

Se o seu cão parece estar tendo uma reação alérgica ao Meloxicam ou você acha que ele pode estar entrando em choque anafilático, você precisa tratar a situação como uma emergência e ir ao veterinário imediatamente. O choque anafilático pode ser fatal.

Precauções para uso de meloxicam para cães

Não é aconselhável dar Meloxicam a cadelas grávidas ou amamentando. O meloxicam também não deve ser administrado a cachorros com menos de seis meses de idade. Os cães que tomam Meloxicam devem ficar muito hidratados e os cães com úlceras devem evitar o Meloxicam em cães que:

  • Têm problemas renais, hepáticos ou cardíacos também não devem tomar Meloxicam; 
  • Sofrem com função renal limítrofe podem apresentar insuficiência renal devido ao medicamento;
  • Possuem doenças cardiovasculares ou renais;
  • Estão em terapia diurética concomitante; e
  • Sofrem com disfunção hepática não são bons candidatos ao Meloxicam.

Certifique-se de falar com seu veterinário sobre quaisquer problemas potenciais de saúde que seu cachorro possa ter, e dê um bom histórico de suas condições médicas anteriores e atuais, bem como medicamentos que estão tomando.

Com uma história e antecedentes completos, o veterinário pode avaliar adequadamente se o Meloxicam é ou não adequado para o animal no estado de saúde atual. 

Medicamentos de venda livre também podem ser um problema ao tomar Meloxicam, portanto, certifique-se de que seu veterinário saiba sobre qualquer um deles que seu cão possa estar tomando.

E como última nota de precaução, nunca dê Meloxicam a seu cão se ele já estiver tomando outro AINE, como aspirina, Rimadyl ou Deramaxx.

Sinais de toxicidade ou overdose de meloxicam

É fácil ter uma overdose de Meloxicam se você não tiver o cuidado de dar a animal a dosagem prescrita pelo veterinário. Quando um cão experimenta níveis tóxicos de uma droga como o meloxicam, eles podem apresentar uma variedade de sintomas.

Esses sintomas incluem:

  • Respiração rápida e difícil;
  • Fezes que são escuras e parecem alcatrão;
  • Perda de apetite;
  • Vômito e diarreia;
  • Um aumento na urina;
  • Um aumento na sede;
  • Movimentos descoordenados;
  • Letargia e sonolência;
  • Perda de consciência;
  • Icterícia;
  • Gengivas pálidas;
  • Mudanças de comportamento.

Infelizmente, uma overdose de um AINE como o Meloxicam pode ser fatal se não for tratada imediatamente, por isso é importante que você trate uma suspeita de overdose como uma emergência e leve seu cão a um hospital veterinário assim que possível.

Alternativas ao meloxicam para cães

Se o seu cão simplesmente não tolera medicamentos AINEs como o Meloxicam, você pode tentar medicamentos alternativos. Em alguns casos, o Tylenol pode ser prescrito, embora muitos veterinários evitem administrá-lo devido à estreita margem de erro quando se trata de dosar com precisão. 

É muito fácil para um cão ter uma overdose acidental de Tylenol . No entanto, se for prescrito pelo seu veterinário, pode ser eficaz.

Em alguns casos, cães que sofrem de dores relacionadas a doenças neuropáticas e que apresentam dor crônica têm algum sucesso ao tomar gabapentina diariamente. 

A gabapentina é um medicamento anticonvulsivante que também parece ajudar no controle da dor. No entanto, ela é uma droga que parece funcionar de maneira mais eficiente quando combinada com outros analgésicos, então isso é algo a se considerar.

Às vezes, o veterinário pode optar por prescrever narcóticos como codeína, hidrocodona, morfina, tramadol, fentanil ou buprenorfina, especialmente quando a dor é forte e outros medicamentos não parecem ser fortes o suficiente para controlá-la. 

Embora os narcóticos sejam normalmente administrados apenas em situações hospitalares, ocasionalmente podem ser prescritos como pílulas ou adesivos para administrar em casa.

Os esteróides às vezes também são prescritos para controlar a dor em cães, especialmente quando se trata de dores na coluna. 

No entanto, os esteróides vêm com um forte conjunto de efeitos colaterais e podem não funcionar bem com outros medicamentos que seu cão esteja tomando. Portanto, eles definitivamente não são a primeira escolha, apesar de sua eficácia.

O que você achou do artigo?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Compartilhe esta postagem:
0Shares

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.