Skip to content

Os 3 melhores vermífugos para cães em 2021

vermífugos para cães

Como todos os outros animais (incluindo humanos), os cães contraem vermes e outros parasitas de vez em quando. Se não forem controlados, esses parasitas podem levar a uma variedade de problemas de saúde, inclusive, a desenvolver quadros clínicos graves.

Felizmente, existem vários produtos disponíveis que ajudarão a combater esses parasitas – que chamamos de vermes. 

Neste texto, recomendaremos três que consideramos os melhores vermífugos para cães, além de serem considerados os mais completos. Mas primeiro, falaremos sobre os vermes, a utilização dos vermífugos e o quanto é importante manter seu dog longe deles.

Lembre-se de utilizar os tópicos de conteúdo abaixo caso deseje ler algum deles primeiro.

Por que os vermes são um problema?

Essa é uma pergunta séria? Quantas coisas você consegue pensar que são mais nojentas do que os vermes que vivem no corpo do seu animal de estimação? Realmente é algo nojeto.

Mas falando sério, vermes e outros parasitas podem causar uma série de problemas para o seu cão. A maioria das infestações de baixo nível causadas por eles produz apenas sintomas leves.

Entretanto, não leva muito tempo para que ocorra uma infestação e, se não for cuidada, pode se transformar em um problema que custe a vida do seu pet.

É por isso que se você quer ter um cão, deve estar ciente que vermifugá-lo é obrigatório. Quando você age preventivamente, evita dor de cabeça para você e seu animalzinho.

Voltando a falar nos vermes, infelizmente eles são muito comuns em cães. Inclusive, ao nascerem eles já contraem esses parasitas da mãe, seja no parto ou através da amamentação.

Para esses filhotes, isso pode ser um grande problema devido ao sistema imunológico frágil que eles têm. Por essa razão, é protocolo vermifugá-los já nos primeiros 15 a 30 dias.

Embora os filhotes sejam mais frágeis, os adultos também podem contrair verminoses. Por isso, a vermifugação deve ser constante.

Assim, os cachorros são geralmente tratados contra vermes várias vezes durante os primeiros seis a 12 meses de vida (tão frequentemente como a cada duas semanas em algumas áreas).

Enquanto isso, os adultos são tratados periodicamente (geralmente a cada três a seis meses, dependendo de vários fatores), ou sempre que houver suspeita ou confirmação de uma infestação. Além disso, os cães geralmente devem ser tratados para dirofilariose mensalmente. 

Quais são os sintomas das verminoses em cães?

Discutiremos alguns dos sintomas específicos que costumam estar associados a determinados parasitas mais tarde. Mas, por enquanto, vamos falar sobre como saber se seu cão tem vermes. 

Os sintomas mais comuns de uma infestação por vermes incluem:

  • Mudanças no apetite;
  • Nível de energia reduzido;
  • Diarreia e outros tipos de disfunção digestiva;
  • Náusea ou vômito;
  • Perda de peso;
  • Barriga inchada;
  • Ficar arrastando a extremidade traseira pelo chão;
  • Lambedura anal excessiva;
  • Má saúde da pelagem;
  • Coceira na pele;
  • Lesões visíveis ou áreas calvas;
  • Tosse.

Há também um sintoma excepcionalmente extraordinário que alguns proprietários observam: você pode observar uma pilha de minhocas no chão depois que seu cachorro faz cocô ou vomita. E antes que você pergunte, sim, os vermes ainda podem estar vivos.  

Quais tipos de vermes os cães podem ter?

A primeira coisa a fazer aos pesquisar sobre vermífugos para cães é saber que eles podem contrair uma variedade de parasitas diferentes e, embora muitos deles sejam, de fato, vermes, outros não são.

Muitos parasitas de cães são organismos unicelulares chamados protozoários. Os protozoários não são apenas diferentes dos vermes, eles são algo totalmente diferente. 

Alguns fungos parasitas também têm nomes comuns contendo a palavra “verme”, mas obviamente também não são vermes.

No entanto, as diferenças entre um protozoário, um fungo e um verme não são muito importantes para o dono médio de um animal de estimação. 

Na prática, o termo “vermes” é usado como um termo geral coloquial para muitos dos vários parasitas que afligem os cães, e vamos usá-lo dessa maneira daqui para frente .

Finalmente, os tipos mais comuns de vermes e parasitas que afetam os cães são explicados a seguir.

Lombrigas

As lombrigas estão entre os parasitas mais comuns que afligem os cães. Ao contrário de muitos outros vermes, elas são muito grandes (cerca de 5 a 6 polegadas de comprimento) e são fáceis de ver nas fezes do animal. Além disso, são tipicamente brancas, mas também podem ser ligeiramente amarelas.

No entanto, só porque seu cão não está expelindo lombrigas não significa que ele não esteja infectado, portanto, testes de rotina e tratamento são importantes.

Embora um punhado de lombrigas não cause grande sofrimento ao cachorro, infestações significativas podem ser bastante preocupantes.

No que se refere a sintomas, normalmente, as lombrigas causam diarreia, dor abdominal, letargia e uma aparência “barriguda”.

Alguns cães também podem perder o apetite, pois os vermes podem encher o trato digestivo, fazendo com que o cão se sinta saciado. 

Ocasionalmente, os cães podem excretar vermes inteiros nas fezes ou expulsá-los ao tossir ou vomitar.

As lombrigas normalmente entram no corpo do cachorro pela via fecal-oral (o que significa que seu cão ingerirá ovos inadvertidamente, geralmente ao farejar o cocô de outro cão).

Entretanto, elas podem ser transmitidas aos filhotes pelo leite materno, como falamos anteriormente. Se um filhote em uma ninhada sofre de lombrigas, todos os filhotes da ninhada também irão contraí-los.

Várias espécies de lombrigas diferentes podem infectar cães, mas lombrigas caninas (Toxocara canis ) e lombrigas canídeos (Toxascaris leonina) são as duas mais comuns. As primeiras causam problemas mais sérios que as últimas e também podem ser transmitidas ao homem .

Na verdade, como as lombrigas podem causar complicações de saúde bastante sérias para crianças pequenas, o CDC recomenda desparasitar todos os filhotes mensalmente e trabalhar em conjunto com seu veterinário para garantir que todos os seus animais de estimação permaneçam livres de vermes.  

Felizmente, com uma boa higiene e um bom vermífugo para cães, as lombrigas são relativamente fáceis de eliminar. 

Ancilostomídeos

Os ancilóstomos são vermes desagradáveis ​​que podem infectar o intestino delgado do cachorro. Uma vez maduras, essas criaturinhas vão perfurar os tecidos intestinais do cão e começar a se alimentar do seu sangue.

Em grande número, esses vermes podem acabar consumindo uma grande quantidade de sangue, o que pode levar à anemia. Sem tratamento, as infestações podem ser fatais – especialmente quando infectam cachorros.

Filhotes geralmente contraem ancilostomídeos do leite materno, mas qualquer cachorro pode contraí-los do meio ambiente. 

A maioria das infestações provavelmente ocorre quando o cão ingere inadvertidamente ovos de ancilóstomo, que são eliminados nas fezes de cães infectados (a rota fecal-oral mencionada anteriormente). Em alguns casos, as larvas de ancilóstomos obtêm acesso ao corpo do cachorro cavando diretamente através da pele.  

Diarréia, perda de peso e níveis reduzidos de energia são os sintomas mais comuns de infestações por ancilostomídeos. 

Você pode obter medicamentos que eliminam os ancilóstomos sem receita ou com o seu veterinário. A higiene adequada é um componente imperativo do tratamento de infestações de ancilostomídeos, portanto, certifique-se de descartar as fezes do seu cão imediatamente e manter sua caixa e arredores limpos.

Observe que, embora raro, os humanos podem contrair ancilostomídeos do meio ambiente, e os resultados às vezes são horríveis. 

Trichuris vulpis

Trichuris vulpis são outro tipo de parasita grave que atinge os cães. Embora alguns animais não pareçam apresentar sintomas graves de infestações por tricurídeos, outros podem ficar bastante doentes.

Tricurídeos vivem no intestino grosso e às vezes no ceco (o ponto de junção dos intestinos grosso e delgado) dos cães, causando muitos danos aos tecidos. Isso pode causar diarreia com sangue, letargia, perda de peso e uma deficiência geral de crescimento.

Essas infestações são contraídas por via fecal-oral, como a maioria dos outros nematóides. No entanto, embora os cães frequentemente sofram reinfestações de ancilóstomos e lombrigas, eles são especialmente comuns no caso de tricurídeos. Além disso, os ovos dos tricurídeos são excepcionalmente resilientes no meio ambiente.

Consequentemente, vários tratamentos são geralmente recomendados para tratar tricurídeos, e medidas de higiene rígidas são uma obrigação. Felizmente, os humanos não podem pegar os tricurídeos dos cães.

Outra informação importante é que às vezes os tricurídeos são visíveis no cocô do seu cão, mas também são muito fáceis de perder. Na verdade, os veterinários costumam ter problemas para identificá-los microscopicamente de forma positiva. 

Quando visíveis, eles se parecem com um fio fino em uma extremidade e largo na outra, e têm cerca de um quarto de polegada de comprimento.

Existem alguns vermífugos para cães diferentes que são eficazes contra tricurídeos, incluindo variedades de prescrição e sem receita.  

Tênias

As tênias são famosas por ocasionalmente atingirem tamanhos gigantescos. Na verdade, em comparação com alguns dos outros vermes discutidos aqui, as tênias são inimigos bastante inexpressivos e muito fáceis de tratar.     

As tênias são um tipo de verme muito diferente dos três discutidos anteriormente. Ao contrário dos vermes, tricurídeos e lombrigas, que são todos nematóides (lombrigas), as tênias são vermes chatos, chamados cestóides. 

Mas, embora poucos donos de cães possam se importar com os pontos mais delicados da classificação de vermes, a maioria se preocupará com outra diferença importante entre as tênias e as lombrigas discutidas anteriormente:

As tênias têm ciclos de vida indiretos, em vez de diretos. Isso significa que eles precisam de outra espécie (que varia de uma espécie de tênia para outra) para completar seus ciclos de vida.

Existem algumas espécies diferentes de tênias que podem afetar cães, mas a mais comum – a apropriadamente chamada tênia canina (Dipylidium caninum) – requer pulgas e cães para se desenvolver plenamente. 

Os cães normalmente os contraem ao comer pulgas infectadas durante o processo normal de limpeza. Outras tênias que afetam os cães incluem as tênias do coelho (Taenia pisiformis) e da carne de porco (Taenia solium). 

Elas podem ser contraídos quando o cão come alimentos contaminados feitos com essas proteínas, ou por via fecal-oral, se o seu cão tiver contato com fezes de coelho ou porco.  

Uma vez dentro do trato digestivo do seu cão, as tênias se fixam no intestino delgado. Ao contrário dos ancilóstomos, que se alimentam do sangue contido nos tecidos intestinais, as tênias simplesmente se alimentam da comida parcialmente digerida.

Como as tênias não se alimentam de sangue e as infestações raramente ocorrem em grande número, elas raramente são responsáveis ​​por causar doenças graves. 

No entanto, eles ainda são rudes (tecnicamente falando) e podem causar sintomas leves, como coceira nas nádegas e perda de peso .

Infestações de tênias geralmente podem ser identificadas pela observação de proglotes (segmentos de tênias que contêm ovos) nas fezes de um cão. 

Os proglotes são tipicamente descritos como semelhantes a pequenos pedaços de arroz branco ou amarelo. As tênias caninas podem infectar as pessoas, mas são tratáveis ​​e fáceis de evitar com boas práticas de higiene.

O ideal para prevenir esse tipo de verme é administrar vermífugos para cães preventivamente. O Médico Veterinário é o mais indicado para sugerir qual melhor medicamento. Neste texto, vamos mostrar os mais eficazes e utilizados.

Vermes pulmonares

Outro tipo de verme que é tratado com vermífugos para cães são os vermes pulmonares. Existem várias espécies diferentes de vermes pulmonares que podem infectar cães e causar doenças. 

As várias espécies infestam diferentes partes do trato respiratório do cachorroo, desde a cavidade nasal em algumas espécies até os pulmões em outras. 

Elas são transmitidas de maneiras diferentes. Alguns desses vermes têm um ciclo de vida indireto que envolve caracóis e lesmas como um estágio intermediário no ciclo de vida dos parasitas.

Enquanto issso, outros têm um ciclo de vida direto que pode causar infecções sem um hospedeiro intermediário. Essas espécies são geralmente transmitidas quando um cão ingere fluidos corporais infectados (incluindo secreções nasais ou saliva). 

Como você pode esperar, dada a variedade de espécies de vermes pulmonares que podem infectar cães, os sintomas associados às infestações variam.

Em alguns casos, a infecção permanece assintomática ou produz apenas sintomas muito leves, como aumento da frequência respiratória ou fadiga. Mas, em outros casos, pode ocorrer tosse ou respiração ofegante. 

O diagnóstico de uma infecção por vermes pulmonares geralmente requer várias abordagens diferentes, que podem incluir uma combinação de exames de sangue, análises fecais, radiografias de tórax e endoscopia. 

Frequentemente, diferentes técnicas de diagnóstico são necessárias para identificar diferentes espécies de vermes pulmonares. 

Alguns vermífugos para cães que são usados para tratar vermes intestinais são eficazes no tratamento de infecções por vermes pulmonares. 

No entanto, os mais eficazes não estão disponíveis ao balcão, então você normalmente precisará de receita e orientação de um veterinário para tratá-los. Além disso, infecções graves por vermes pulmonares podem exigir hospitalização.  

Verme do coração

O chamado “verme do coração” é muito diferentes da maioria dos outros vermes que acometemcães. A maioria dos vermes reside no trato intestinal do animal e se espalha pela via fecal-oral. Mas, o verme do coração é transmitido por meio de mosquitos e vivem no sistema circulatório do cachorro.

Vermes jovens (chamados microfilárias) entram na corrente sanguínea do cão quando ele é picado por um mosquito infectado. Em seguida, eles circulam pela corrente sanguínea por um tempo, enquanto se transformam em adultos maduros.

Depois de se tornarem adultos, eles normalmente se movem para o coração, onde podem causar sérios danos ao músculo cardíaco do dog. 

Isso pode fazer com que os cães fiquem cansados ​​muito rapidamente, já que seu sistema cardiovascular é incapaz de funcionar com eficácia. Eventualmente, muitos casos causarão insuficiência cardíaca fatal.

Protozoários

Os protozoários provavelmente não afetam os cães tão comumente quanto os vermes, mas como podem causar doenças bastante graves (e várias espécies podem ser contagiosas para os humanos), eles devem ser tratados sempre que estiverem presentes.

CoccidiaCryptosporidium e Giardia estão entre os protozoários mais comuns que afetam os cães. Letargia, perda de peso e diarreia são alguns dos sintomas mais comuns de infecções por protozoários, mas em alguns casos ocorre perda de massa muscular, problemas oculares e disfunção renal .

Algumas infecções por protozoários são muito difíceis de diagnosticar, pois os esporos liberados nas fezes do cachorro podem ser muito pequenos e difíceis de ver no exame microscópico. 

Em alguns casos, biópsias ou esfregaços de sangue devem ser analisados ​​para identificar os protozoários que causam a infecção. Infelizmente, você precisará de ajuda veterinária para tratar a maioria das infecções por protozoários.

Alguns vermífugos para cães são eficazes no tratamento de Giárdia. Ainda neste artigo vamos mostrar alguns. Entretanto, você deve sempre consultar o veterinário no caso de tratamento, ou seja, quando o cão estiver infectado por protozoários.

Micose

Micose é um organismo muito mal denominado – na verdade, trata-se de um fungo. E, ao contrário dos outros vermes e parasitas que estamos apresentando aqui, a micose afeta a pele do cachorro, ao invés de seus órgãos internos ou intestino.

A título de informação, a micose geralmente causa erupções cutâneas características em forma de anel, que são circundadas por pelos quebrados. 

Raramente é muito grave para cães adultos saudáveis, mas é ridiculamente contagioso. Portanto, o tratamento imediato é sempre sensato.

Será necessária a orientação e consulta ao veterinário para diagnosticar e tratar a doença, pois não existem medicamentos legítimos sem receita disponíveis para tratar a micose.

Existem vermífugos para cães naturais?

Alguns donos estão preocupados em dar medicamentos aos seus cães para tratar vermes, por isso estão ansiosos por procurar remédios “naturais”. Algumas das recomendações mais comuns incluem sementes de abóbora ou romã, alho e cenoura ralada.

Provavelmente não há nada de errado em alimentar seu cachorro com sementes de abóbora ou romã, e as cenouras são usadas em muitos alimentos para cães. 

O alho é um pouco duvidoso, mas provavelmente é seguro em doses muito pequenas e também é usado em alguns alimentos para cachorros. No entanto, usar esses itens em vez de vermífugos para cães genuínos não é uma boa ideia.

Em primeiro lugar, os vermífugos para cães mais comumente usados ​​foram exaustivamente testados e considerados seguros quando administrados na dosagem adequada.

Na verdade, alguns desses medicamentos (ou seus análogos próximos) são usados ​​para tratar humanos. O fenbendazol, por exemplo, tem um fator de segurança dez vezes maior, o que significa que você teria que dar ao seu cão mais de 10 vezes a dose prescrita antes de ver algum problema.

Em segundo lugar, há pouca evidência empírica que sugira que esses tratamentos naturais sejam eficazes. Pode até ser que alguma dessas receitam tenham alguma eficácia, mas é muito pouca se considerarmos os vermífugos para cães.

Quando você considera esses dois fatores e lembra que os vermes podem causar sérios problemas de saúde para seu cão (e também para sua família). Então, é melhor não confiar em remédios naturais não comprovados no que diz respeito a parasitas intestinais .

Vá em frente e alimente seu cachorro com cenouras ou sementes de abóbora de vez em quando, mas faça isso porque seu filhote vai achá-las deliciosas – não como uma forma de mantê-lo livre de vermes.  

Os três melhores vermífugos para cães

Quando você começar a procurar um bom vermífugo para o seu cão, certifique-se de selecionar um que trate as espécies que o infectam. Sendo assim, analise as opções a seguir com cuidado. 

Lembre-se de que o uso dos vermífugos para cães como prevenção é livre, ou seja, você não precisa de receita. Então, você pode escolher um dos que vamos apresentar, de acordo com as necessidades do seu pet.

Por exemplo, se seu cão tem um paladar notoriamente exigente, você pode optar por pequenos comprimidos (que podem ser escondidos na comida) em vez de mastigáveis. E por aí vai.

Agora, vamos apresentar os 5 melhores vermífugos para cães para você dar ao seu dog.

Endogard, da Virbac

Nenhum produto encontrado.

Clique em “Ver Preços” para pesquisar o Endogard adequado para seu cachorro.

O Endorgard é um vermífugo muito indicado por veterinários para o tratamento e prevenção de verminoses em cães. Ele é produzido pela Virbac e é um dos mais populares entre donos de cachorro.

O Endogard é um vermífugo completíssimo. Além de tratar e controlar as principais verminoses que podem acometer cães, também trata e previne a Giárdia. Sem contar, que também previne o verme do coração.

A duração do efeito do Endogard é de 15 a 21 dias para prevenção. Mas, caso esteja sendo utilizado no tratamento de verminoses, são necessárias repetições conforme a orientação do Veterinário.

Apesar de ser raro, o uso do Drontal pode causar indisposição gastrointestinal leve e transitórias em alguns cães. É importante ressaltar também que ele não deve ser administrado junto com piperazínicos.

E os prós e o contras do Endogard, quais são?

  • É bastante palatável;
  • Trata e previne a Giárdia;
  • Previne o Verme do Coração;
  • Possui sulco para dose correta;
  • É um produto seguro.
    • Alto custo.

      Leia também: Endogard é bom? Conheça os prós e os contras

      Drontal, da Bayer

      Vermífugo Bayer Drontal Plus Sabor Carne para Cães de até 35kg - 2 Comprimidos
      48 Avaliações
      Vermífugo Bayer Drontal Plus Sabor Carne para Cães de até 35kg - 2 Comprimidos
      • Com excelente aceitação, possui sabor agradável ao paladar dos cães
      • Dispensa regime prévio ou jejum prévio para a administração
      • Elimina a giárdia presente no intestino do cão em três doses
      • Os adultos podem ser vermifugados a cada três meses
      • Pode ser misturado a ração ou alimento

      Clique em “Ver Preços” para pesquisar o Drontal de adequado para seu cachorro.

      Produzido pela Bayer, o Dontral é um dos vermífugos para cães mais populares do mercado, assim como o Endogard. Ele tem como princípios ativos: Praziquantel, pamoato de pirantel e febantel.

      Ele é bastante eficaz na proteção contra vermes redondos e chatos. Além disso, é também indicado no tratamento da Giárdia canina. Pode ser administrado em filhotes a partir de 2 semanas de idade e em qualquer estágio da vida do cachorro.

      Apesar de ser raro, o uso do Drontal pode causar indisposição gastrointestinal leve e transitórias em alguns cães. É importante ressaltar também que ele não deve ser administrado em filhotes com menos de 1kg de peso.

      Os prós e os contras do Drontal são:

      • Produto seguro;
      • Grande eficácia;
      • Fácil administração;
      • Vermífugo de amplo espectro.
        • Preço elevado.

          Top Dog, da Ouro Fino

          Top Dog 30
          68 Avaliações
          Top Dog 30
          • Vermífugo palatável à base de Praziquantel, Pamoato de Pirantel, Febantel e Ivermectina.
          • Indicado para o combate a vermes chatos e redondos e para o tratamento de giardíase em cães.

          Clique em “Ver Preços” para pesquisar o Top Dog de adequado para seu cachorro.

          Como vermífugo de amplo espectro, o Top Dog é outra opção presente no mercado bastante eficaz para o tratamento e prevenção de vermes em cães.

          Com quatro princípios ativos presentes em sua fórmula – Pirantel, Praziquantel, Febantel e Ivermectina – o Top Dog combate vermes chatos e redondos e também a giárdia canina e o verme do coração.

          A duração do efeito do Top Dog é de 3 meses. Ao administrar no cão, ele começa a agir de 4 a 6 horas. Entretanto, a bula não informa quando ele atinge sua eficácia máxima.

          Esse medicamento não pode ser utilizado junto com produtos a base de Morantel, Levamisole e Piperazina. O motivo é que existe risco de intoxicação.

          O Top Dog é indicado para cães e para filhotes com mais de 2 semanas de idade e cães adultos. Além disso, é contraindicada em gestantes e lactantes.

          Dentre os prós e os contras, podemos citar:

          • Boa palatabilidade;
          • Produto de amplo espectro;
          • Tem rápida ação;
          • Trata a giárdia;
          • Previne o verme do coração.
            • Pode causar indisposição gastrointestinal leve e transitória.

              Quantas vezes devo dar o vermífugo?

              Você deve sempre tratar seu cão sempre que ele tiver vermes, mas muitos veterinários e proprietários também administram vermífugos em cães regularmente como método de prevenção.

              Normalmente, isso significa desparasitar filhotes todos os meses até que atinjam os seis meses de idade. Esta sequência relativamente rápida de tratamentos é necessária para cachorros por três razões diferentes:

              1. Os filhotes não têm o sistema imunológico robusto dos cães adultos, o que não apenas significa que eles são infectados mais facilmente do que os adultos, mas também sofrem com os piores efeitos dos vermes.
              2. Os filhotes geralmente estão em contato próximo com o resto da ninhada, e também com a mãe. Isso aumenta as chances de um filhote parasitado infectar os outros.
              3. As mães frequentemente passam vermes para os filhotes através do leite materno.

              Por outro lado, os adultos geralmente são vermifugados uma ou duas vezes por ano (para parasitas intestinais – os preventivos contra dirofilariose e vermes pulmonares são geralmente administrados mensalmente) ou sempre que houver suspeita de abrigar uma infestação. 

              Além disso, os veterinários costumam dar vermífugos para cães que não vão ao veterinário há algum tempo, apenas para ajudar a eliminar qualquer infestação em potencial.

              Como mencionado anteriormente, os medicamentos para dirofilariose são diferentes daqueles projetados para eliminar vermes intestinais. 

              O veterinário explicará o esquema de dosagem adequado para o tratamento de dirofilariose do seu cão, mas a maioria deve ser administrada uma vez por mês.

              O que acontece quando você dá vermífugos para cães?

              Se você selecionar o vermífugo adequado e administrá-lo ao seu cão de maneira certa, os vermes geralmente morrerão e serão expelidos junto com o cocô do cachorro. 

              Embora você possa não notar ancilostomídeos ou tricurídeos nas fezes do seu cão, as lombrigas são frequentemente óbvias. No entanto, os vermes nem sempre estão mortos quando saem.

              Embora possa ser chocante ver uma massa viva de vermes se contorcendo saindo no cocô do seu dog, isso é normal. Esses vermes estão em processo de morte e não durarão muito tempo, essa é a boa notícia e compensa o quão desagradável é vê-los.   

              Conclusão

              Os vermes são muito comuns em cães e, embora haja uma série de medicamentos eficazes que ajudarão a tratá-los, você deve selecionar um que seja eficaz para os vermes que infectam seu cão. 

              Apenas certifique-se de revisar as informações acima cuidadosamente e sempre mantenha o veterinário que acompanha seu cachorro informado ao tratá-lo contra vermes.

              Os vermífugos para cães apresentados neste texto são completíssimos, ou seja, de amplo espectro. Com eles, você não só trata, mas previne uma ampla variedade de vermes, incluíndo a Giárdia e o verme do coração.

              E então, você já experimentou algum dos vermífugos apresentados acima? Adoraríamos ouvir sobre suas experiências. Deixe-nos saber como eles funcionaram para você nos comentários abaixo.